Segunda-feira, 20 de Junho de 2011

Troikapitalismo/Eclipse Total do Reformismo: Manifesto Saladarmada de Verão.

Vaneigem, num dos mais substanciais (porque compacto, esclarecedor e apaixonado) textos críticos escritos contra o capitalismo, e pela Vida que aquele ameaça - A Economia Parasitária -  traçou um retrato implacável daquilo que tínhamos e temos pela frente. Passados quase vinte anos, e sob as trevas de uma ditadura financeira global que se lança sem freios na tarefa de secar todos os veios do humano, estas palavras reverberam como nunca: "A economia totalitária não priva o povo das suas liberdades, priva apenas a liberdade da sua substância viva. Faz dela uma liberdade mercantil, que se compra, vende e troca. Tem todavia uma característica semelhante ao totalitarismo político: não se a pode emendar, é preciso destruí-la por inteiro."

 

 As ilusões reformistas, de que ainda enfermam as margens esquerdas institucionais do sistema - e de que enfermamos todos nós quando deixamos emparedar os nossos desejos pela sepultura ideológica que define o possível e o impossível, o realista e o irrealista, o responsável e o irresponsável -, tornaram-se indigestas. Os que ousaram por desespero ou táctica lançar o seu corpo contra o sistema de dominação e exploração capitalista sabem bem da sua irreformabilidade. As aventuras da dialéctica, o rol de contorcionismos a que fomos obrigados e habituados ao longo dos anos, serão destruídos pela vontade irrefreável de Viver: com o à vontade com que o cão vadio mija no pára-choques do Chevrolet às oito da manhã, ou com a angustia com que se vomita a ressaca à mesma hora.

 

No tempo da internet sem fios, precisamos de uma rebelião sem fios.

 

Cria o que aconteceria se não. Impotência contra prepotência Fodamos com urgência! Celebremos a dormência! No festim da incoerência! Veneramos o inútil absúrdo E não ofendemos a vida Porque vivemos porque queremos Porque queremos viver coerentemente uma vida de inutilidade Porque amamos o absurdo da vida e cavalgamos a existência Sem que ela nos defina. Gritamos o seu vazio A pulmões de surdina. Inspiramos para fora e expiramos o fígado. Cantamos os genitais quando ejaculamos o éter. Somos apaixonados pelo suco gástrico quando nos alimentamos deste lixo. Somos ratazanas com asas de pombos doentes. Temos rochas costeiras nos rins e mijamos pântanos lamacentos; oceanos. Somos compostos de vácuo atómico. Sangramos ódio radioactivo. Fomos umbilicalmente injectados com ócio nos úteros maternos das mães dos outros. A nossa mãe nunca esteve presente. Somos tristes órfãos psicopatas, Felizes embriões sem deus. Bombistas frustrados, suicidas nús e desarmados. Não nos podemos matar, não podemos morrer. Mantemo-nos no limbo, construimos o purgatório. Somos vazios por dentro e por fora somos ocos. Mas espirramos enxofre. Somos buracos negros, buracos de verme, supernovas e não fazemos ideia do que é protoplasma. Somos protótipos da gosma! O mundo embala-nos com movimentos peristálticos e nós induzimos o vómito das estrelas com olhos de mercúrio.

 

Somos nada, queremos tudo!

 

 

                      Semeador de Favas e Junco Julieta Túbaro de Guindaste (2011)

 



 

engatilhado por Semeador de Favas às 23:49
link do post | deposite aqui a sua esmola | adoptar este post
|

.Nós

.Memorabilia

. Junho 2013

. Maio 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

.Engrenagens

.Poltergeist

. Sentimento Objectivo de E...

. O Silêncio dos Inocentes

. C'era una volta il Italia...

. Troika Punks Fuck Off / R...

. Let's twist again (like w...

. Vamoláver sagente sentend...

. Solidariedade (Palavra à ...

. “fo(le)go” .T...

. O “bicho-troika” demonst...

. De como se auto-decapitar...

.Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar nesta espelunca

 

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds